Normas Bagagem de mão

A Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear) intensificou desde a última quinta (25/04) a fiscalização das bagagens de mão dos passageiros que viajam nos aeroportos brasileiros.

Inicialmente os terminais que já estão intensificando as fiscalizações são: Aluízio Alves (Natal), Juscelino Kubitschek (Brasília), Afonso Pena (Curitiba) e Viracopos (Campinas) e). Porém até o dia 23 de Maio outros 15 aeroportos de todo o pais serão aderidos a essa campanha.

Serão disponibilizadas armações de metal onde as bagagens de mão deverão ser inseridas para conferir as dimensões das mesmas (prática já utilizada em varios aeroportos internacionais). As dimensões utilizadas no Brasil (55 centímetros de altura x 35 centímetros de largura e 25 centímetros de profundidade) seguem as recomendações da Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA).

.
As malas que não respeitarem as dimensões ou a franquia de peso permitidas deverão ser despachadas, e os passageiros serão cobrados de acordo com o despache e a operadora que utilizam.
A Abear objetiva com isso agilizar os processos de embarque.
Saiba mais com a La Moneta. Entre em contato conosco.

#casadecambio #fortaleza #cotacao #lamonetacambio #dolar

Dólar tem leve alta ante real na abertura, após recuar a R$3,10

O dólar abriu a segunda-feira (13) com leve alta ante o real, depois de ter fechado no nível de R$ 3,10 no pregão passado e sob a expectativa de alguma atuação do Banco Central no mercado cambial.

Às 9h09, o dólar avançava 0,17%, a R$ 3,1146 na venda, após ter recuado 0,66% na última sessão, a R$ 3,1092.

O BC continuava sem anunciar qualquer intervenção no mercado de câmbio, por ora. Em março, vencem o equivalente a quase US$ 7 bilhões em swap tradicional –equivalente à venda futura de moeda– e o presidente da instituição, Ilan Goldfajn, havia sinalizado que poderia não rolar o lote ou fazê-lo apenas parcialmente.

Sexta-feira

O dólar fechou em queda nesta sexta-feira (10), seguindo a tendência das moedas emergentes no exterior depois que a China divulgou dados bastante robustos da sua balança comercial, dando força às commodities e a seus vendedores, como o Brasil.

A moeda caiu 0,66%, a R$ 3,1092 na venda, o menor patamar desde outubro de 2016. Na semana, o dólar caiu 0,46%. No mês e no ano, há recuo acumulado de 1,33% e 4,32%, respectivamente.

 

Fonte: http://g1.globo.com/economia/mercados/noticia/dolar-cotacao-de-13-02-17.ghtml